Notícias

  • Jun

    27

    2022

SEBRAE e ACEPP avaliam maturidade do ecossistema de inovaçao de Ponta Pora

SEBRAE e ACEPP avaliam maturidade do ecossistema de inovação de Ponta Porã

A fim de tratar do tema e avaliar o nível de maturidade do ecossistema de inovação e o planejamento de futuro, o SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) reuniu lideranças, nessa segunda-feira (27), para o 2º Workshop de Planejamento do Ecossistema de inovação  de Ponta Porã, na sede da ACEPP (Associação Comercial e Empresarial de Ponta Porã).
Além da presidente anfitriã, Fabrícia Dias, e do consultordo SEBRAE, Adelino Costa Marques, participaram da discussão os empresários João Ranulfo Ferreira, José Gomes de Morais, David F. Ramos, Jacira Bueno, Alex Pereira do Carmo, Claudelina Alvarenga, Juliana Mayumi Nishi, Ramildo Camargo Martins, Maria Lucimar dos Santos Reis e Marta Sulema Biolchi.
ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO
O programa elaborado pelo Sebrae tem como foco a inovação empresarial, assegurando garantias de resultados potenciais.
As vantagens de um Ecossistema de Inovação integrado são infinitas. Mas, antes de entender melhor o que faz de um ecossistema de inovação mais ou menos integrado e o que isso pode influenciar num negócio, é importante ter clareza do que é e quem são seus integrantes.
Um ecossistema de inovação segue praticamente o conceito da natureza. Ou seja, é tudo aquilo que está no entorno de um ser ou, nesse caso, de uma empresa, e que de alguma forma pode afetar pouco ou muito a sua existência e as chances de sobrevivência e de ter sucesso.
Muitas formas são utilizadas para exemplificá-lo, a mais popular delas é a da Quadrupla Hélice (foto).
Esse modelo em hélice simboliza a importância de cada lâmina e os atores que compõem o ecossistema de inovação, mas acima de tudo, a sinergia entre os diferentes atores que devem formar um ambiente propício para que os pequenos negócios inovadores surjam e prosperem.
O PAPEL DE CADA UM
A influência de cada pá para o ecossistema de inovação é a que segue:
Universidades: As universidades são responsáveis pelo desenvolvimento do capital humano e intelectual, ou seja, elas têm a função de formar pessoas tecnicamente capazes, inquietas e que serão os futuros empresários ou intraempreendedores que irão atuar nas demais pás da hélice. Essas pessoas também podem optar pela área de pesquisa, com a missão de explorar alternativas a fim de solucionar os diversos problemas encontrados na sociedade.
Sociedade civil organizada: São as entidades representativas que possuem a função de prezar pelo interesse comum, o SEBRAE e a ACEPP são exemplo disso. Entidades que visam apoiar o desenvolvimento dos pequenos negócios e fazem a interlocução com as demais pás da hélice para que suas necessidades sejam sanadas.
Governo: A pá do governo tem como principal demanda criar leis de inovação, incentivo e viabilizar investimentos que proporcionem, aos pequenos negócios inovadores e "startups", a criação de novos produtos, serviços e soluções.
Empresas: Nesta pá da hélice estão contempladas grandes empresas, Startups, pequenos negócios, etc. Essas empresas são responsáveis por gerar empregos, gerar impostos e realizar investimentos, viabilizando que projetos inovadores se tornem produtos ou serviços que ficarão à disposição do consumidor, ou das demais empresas que compõem o mercado.
VANTAGENS
Todo empresário que hoje possui um negócio de sucesso precisou passar por uma trilha empreendedora composta por vários desafios durante o seu desenvolvimento. Com as empresas inovadoras isso não é diferente. Os empreendedores precisam ter muita determinação e resiliência para que o seu negócio chegue até o ponto de ser considerado de sucesso. Essa trilha possui vários pontos de atrito em que um ecossistema pode influenciar de forma positiva ou negativa.
Um exemplo: 
- Uma empresa possui um quadro pequeno de funcionários e vem conseguindo atingir bons resultados no mercado, como: encontrou seu produto ideal, está ajustando o seu negócio e está com o seu planejamento de crescimento bem elaborado e pronto para ser executado. Mas, possui apenas um problema: não tem o capital para isso.
Nesse caso, se o empresário estiver em um ambiente com um grupo de possíveis investidores, ele provavelmente irá conseguir executar o plano, ampliar o negócio e atingir novos mercados. Consequentemente, irá gerar mais emprego e renda para a sociedade. Caso contrário, não será possível aproveitar a “maré positiva” do seu negócio e poderá não atingir seu potencial máximo.
A inovação é fundamental para o desenvolvimento das empresas. E o projeto do SEBRAE assegura que, por mais tradicional que uma empresa seja, sempre há espaço para a inovação.

(Assessoria de Imprensa da ACEPP)
(Fonte: SEBRAE)